Pelo sexto ano consecutivo, Prefeitura de Santa Cruz fecha com superavit

O prefeito de Santa Cruz do Sul, Telmo Kirst, anunciou superavit nas contas da Prefeitura. O saldo positivo é de R$ 9 milhões, um recorde da atual administração. O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira, dia 2, seguido pela apresentação do balanço final do exercício 2018.

Dentre os fatores que contribuíram para que a Prefeitura alcançasse esse recorde no superavit estão uma série de medidas de contenção de gastos adotadas pela Administração, porém somente a antecipação de valores do ICMS repassados pelo Estado e a venda da folha de pagamento dos servidores para o Banrisul, um incremento que acontece a cada cinco anos, ultrapassaram os R$ 7 milhões.

Durante o anúncio, o prefeito disse que o mais importante é a Prefeitura estar com suas contas em dia, uma realidade que não é partilhada pelo governo do Estado e nem por muitos outros municípios. “Estamos com os salários em dia, conseguimos antecipar o 13º e até o vale alimentação, em muitos momentos. O Estado vive uma grande preocupação com atrasos no pagamento de fornecedores e na folha de pagamento, o que também acontece em muitos municípios. Isso mostra que a Prefeitura de Santa Cruz do Sul cuida muito bem dos seus recursos. Aqui há gestão e responsabilidade fiscal”, avaliou.

Como atestado da boa saúde financeira do Município, basta ver os percentuais do orçamento de R$ 460.434.031,13, aplicados nas áreas mais importantes da Administração: saúde e educação. Diferente do que manda a Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece a aplicação de 15% do orçamento na saúde, Santa Cruz do Sul investiu no ano que passou, 21,2%. Na educação aconteceu o mesmo, apesar da obrigatoriedade de aplicar 25% do orçamento, a Prefeitura ultrapassou esse limite e investiu 26,6%.

Sobre as perspectivas financeiras para este ano, o prefeito afirmou que é preciso manter a  cautela e o rigor nos gastos, o que aliás é uma marca registrada na sua forma de administrar. “Teremos um ano difícil, o novo governo nos enche de esperança, mas as medidas que terá que tomar serão duras e na base da contenção de despesas”, disse.

Além dos adiantamentos de ICMS e de IPVA, esse último na ordem de R$ 4 milhões, por parte do Governo do Estado, que colaboraram para o saldo positivo, dentro de casa os gestores também fizeram a lição. Todas as secretarias municipais sofreram redução de despesas durante o ano que passou, a partir do decreto de contingência emitido pelo prefeito, o turno único foi adotado nos meses de outubro, novembro e dezembro, recursos do orçamento da Câmara de Vereadores foram devolvidos à Prefeitura e os resultados dos programas Regularize Cidadão e Bom Pagador alcançaram êxito além do previsto, bem como a antecipação do IPTU.

Para o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, Jeferson Gehrardt, é importante frisar que o superavit não é sinônimo de sobra de recursos. “É a gestão forte do prefeito Telmo sobre as secretarias que nos mantém com os pés no chão. Quem não guarda, não tem”, resumiu.  Segundo ele, a economia pode melhorar em 2019, mas isso não é uma certeza, além do mais ressalta que ao mesmo tempo que o superavit é uma alegria é também motivo de preocupação. “São recursos que ingressaram de forma adiantada, portanto não entrarão em 2019. Temos que ter cautela e garantir que sejam bem aplicados”, observou.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *